28 de novembro de 2021

Não faça fila! Veja quem tem direito à vacina

Hoje, serão vacinados profissionais da linha de frente; depois, Sesau vai enviar equipes às casas de acolhimento

Por Anahi Zurutuza e Bruna Marques 

Nesta manhã, no CRS Tiradentes, onde será dada largada oficial da vacinação na Capital, pacientes esperavam atendimento, mas não a vacina (Foto: Henrique Kawaminami)
Nesta manhã, no CRS Tiradentes, onde será dada largada oficial da vacinação na Capital, pacientes esperavam atendimento, mas não a vacina (Foto: Henrique Kawaminami)

Nesta terça-feira (19), recebem a primeira dose da CoronaVac em Campo Grande profissionais de saúde que trabalham nos três maiores hospitais públicos da Capital – Santa Casa, Hospital Regional e Hospital Universitários – e ainda os trabalhadores da linha de frente das 10 unidades municipais de saúde 24 horas.

O start oficial será às 9h, em evento marcado para aconteceu no CRS (Centro Regional de Saúde) do Bairro Tiradentes, com a presença do prefeito Marquinhos Trad (PSD), embora a Santa Casa de Campo Grande tenha agendado o início da vacinação dos profissionais de lá para as 8h.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informa que, por enquanto, as salas de vacinas dos postos de saúde não vão receber idosos com idade a partir de 75 anos para aplicar doses. Neste primeiro momento, por causa da quantidade de imunizante enviado pelo Ministério da Saúde para a divisão entre os 79 municípios de Mato Grosso do Sul, somente os idosos que vivem em asilos serão vacinados. A secretaria vai enviar equipes às casas de acolhimento.

Em MS – As 158.760 ampolas da CoronaVac, vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinova em parcerias com o Instituto Butantan, chegaram em Campo Grande por volta das 15h dessa segunda-feira (18). O transporte foi feito por uma aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira) e equipes da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal fizeram a escolta do caminhão até o pátio da central de distribuição, de onde saíram para os municípios.

Das 158 mil doses, 97 mil serão destinadas para a população indígena e o restante para idosos que vivem em asilos ou com idade a partir de 75 anos, além dos profissionais que atuam na linha de frente no enfrentamento à covid-19. No total, 79 mil pessoas serão imunizadas já que cada uma tem de tomar duas doses.

Ainda não há detalhes sobre como será a vacinação nas comunidades indígenas. Ontem, foi divulgado apenas que, nesta primeira etapa, os índios que vivem nas aldeias urbanas não serão beneficiados. – CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *