Com dinheiro público, Dagoberto paga R$ 434 mil a advogado do PDT

Com dinheiro público, Dagoberto paga R$ 434 mil a advogado do PDT

O deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) pagou R$ 434.000,00 ao escritório do advogado do PDT em Mato Grosso do Sul, Flávio Pereira Rômulo. O dinheiro saiu da cota para exercício do mandato, por meio de notas fiscais, a maioria emitida em sequência. Nos últimos quatro anos, o pedetista gastou R$ 2,21 milhões de recursos da Câmara dos Deputados.

Levantamento do Portal MS em Brasília no Portal Transparência da Câmara mostra que, entre abril de 2015 e agosto de 2019, houve a emissão pela empresa de 47 notas fiscais nos valores de R$ 10.000,00 e R$ 7.000,00. Juntas, elas totalizam R$ 434.000,00.

Nesse período, o escritório Pereira e Góes Advogados, instalado em Campo Grande, do qual Flávio Rômulo é sócio com Carlos Roberto Góes Machado, emitiu 72 notas, 65,2% delas para Dagoberto Nogueira. Os documentos foram registrados no item “consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos”.

Pereira Rômulo aparece como advogado do PDT em várias ações em Mato Grosso do Sul, além de outros processos em que o deputado Dagoberto é réu. O trabalho prestado ao partido foi confirmado por funcionários do Diretório Regional da legenda em Campo Grande. O escritório Pereira & Góes Advogados começou a funcionar, legalmente, em 7 de abril de 2015.

Coincidência 

A primeira nota fiscal para o deputado foi emitida em 29 de maio de 2015, referente a serviços que teriam sido executados em abril, mês de emissão do CNPJ. No corpo de algumas notas, há menção sobre um contrato que teria sido firmado entre Dagoberto Nogueira e o escritório Pereira & Góes Advogados para “elaboração de minutas sobre proposições legislativas e consultoria acerca de propostas que tramitam no Congresso Nacional”.

Fonte: MS em Brasília

tribuna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *