29 de outubro de 2020

Frio não intimida e policiais continuam acampados em frente à governadoria

Acampamento dos policiais civis começou há 13 dias

Policiais civis de Mato Grosso do Sul encaram o frio de 7º na madrugada desta terça-feira (20), e continuam acampados em frente à governadoria do Estado, onde começaram o protesto por reajuste salarial há 13 dias como forma de pressionar o governo. Está prevista para o dia 3 de julho, uma reunião com governador Reinaldo Azambuja (PSDB), e até lá, os agentes prometem continuam com o acampamento.

São 15 policiais participando do ato, que se revezam em turnos e enfrentam o frio intenso dos últimos dias, entre eles o policial Sanuel Rosa, lotado no município de Rio Negro – a 163 quilômetros de Campo Grande. “Todos têm que ajudar, a luta é de todos”, defendeu. Segundo ele, o esforço coletivo é uma forma de pressionar o governo, mesmo sem muitos acenos de volta. “A gente acredita”, disse.

Para o diretor trabalhista do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis), o objetivo é manter o acampamento até o próximo mês, independentemente do clima. No local foi criada pelos próprios servidores uma estrutura com 5 barracos, banheiros químicos e com um gerador.

A relação entre governo e servidopres chegou ao extremo após o governador anunciar que não concederia reajuste de salário, alegando defasagem na arrecadação, causada pela perda do ICMS (Imposto Sobre Circulaão de Mercadorias e Seviços) do gás. A discussão ocorreu ao mesmo tempo em que o governo de Azambuja foi acusado de cobrar propina em troca de concessões fiscais a donos de frigoríficos do Estado. O MPE-MS (Ministério Público do Estado) está apurando as denúncias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *