21 de outubro de 2020

Governo estuda antecipar férias na rede pública

Medida ajudaria na retomada do calendário no segundo semestre

Ricardo Campos Jr


Estado decide na próxima semana sobre o retorno das aulas – Foto: Arquivo / Correio do Estado

A Secretaria de Estado da Educação (SED) cogita antecipar as férias de julho para os meses de maio ou junho. O objetivo é ajustar o calendário para otimizar o tempo perdido no período em que as aulas ficaram suspensas durante a pandemia causada pelo coronavírus. A antecipação das férias será definida em reunião na próxima segunda-feira (27).

As aulas na rede estadual de ensino estão suspensas desde o 23 de março. O governo mantém atividades curriculares enviadas por meio de técnicas de ensino à distância (EAD). O Correio do Estado apurou, porém que a manutenção de atividades à distância durante todo o ano esbarraria em questões técnicas e legais (não está previsto no ano letivo deste ano) e orçamentárias: o uso da plataforma tem um custo.  

Desde o ano passado que o governo de Mato Grosso do Sul mantém atividades de ensino à distância, ainda em caráter experimental, em algumas escolas públicas de três municípios, entre eles, a capital, Campo Grande. Durante a pandemia do coronavírus, a plataforma foi estendida a toda rede de ensino.  

As aulas na rede estadual de ensino, que contam com 210 mil estudantes, ficarão suspensas até o próximo dia 6 de maio. A expectativa na secretaria de Educação é a de validar o máximo possível das atividades em EAD durante a pandemia.  

PLATAFORMA

A SED permitiu que professores escolhessem uma das plataformas do Google e de outras empresas para aplicar atividades. Desde o Google Documentos até o Hand Talk, que conecta docentes e estudantes com deficiência, o currículo escolar continua sendo cumprido, apesar da pandemia.

A comunicação entre as partes ocorre por meio de um aplicativo cotidiano: o WhatsApp. É o caso da Escola Estadual Cel. Lima de Figueiredo, em Maracaju. A unidade optou pelo Google Sala de Aula e o aplicativo de mensagens. Na plataforma do Google, o professor cria uma atividade e o aluno a realiza em um prazo determinado.

Larissa Barbosa Padilha, professora de Língua Portuguesa, menciona que a instituição está utilizando também e-mails. “Nós planejamos nossas aulas, colocamos em PDF, lançamos no grupo, colocamos as orientações. Os estudantes interagem conosco, fazem questionamentos, tiram dúvidas”, explica.

Quem não tem celular pode receber a tarefa por e-mail. “Os estudantes que não podem acessar pelo celular, mas possuem computador em casa, recebem as atividades por e-mail. Já o Google Classroom (sala de aula, em inglês) é uma plataforma nova e a maioria dos professores não tinha contato, porém, facilitou o trabalho por ser uma plataforma individual. Notamos ainda que a maioria dos estudantes possui celular, mas não utilizava para atividades. Hoje, [a ferramenta] enriquece o aprendizado de todos ”, finaliza.

Estudante do 1º ano do Ensino Médio, Leonardo Ferreira teve dificuldades, mas já se adaptou à novidade. “No começo das atividades on-line, eu não me dava muito bem. Tinha muitas dificuldades para responder às perguntas, mas agora eu estou achando bom, já que é uma maneira mais tecnológica de aprendermos. As atividades são todas excelentes e os professores explicam muito bem”, conta.

CAPITAL

Em Campo Grande, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) lançou as atividades na página da pasta na internet, que devem ser preenchidas após impressão. Procurada para comentar a possibilidade de manter as aulas em casa, a titular da Semed, Elza Fernandes, não atendeu às ligações da reportagem.

Os pais dos 89,7 mil alunos da Rede Municipal de Ensino (Reme) devem acessar o site e imprimir os cadernos. Quem não puder deve entrar em contato com a escola e agendar uma data para retirá-lo.

A entrega é obrigatória para estudantes do 4º ao 9º ano, pois assim a Semed vai registrar a presença em aula. Quanto às crianças do berçário até o 3º ano, não há obrigatoriedade de entrega, já que elas têm como objetivo promover a interação entre os pais e os filhos.

Os cadernos de atividades trazem conteúdos e exercícios respectivos a cada ano e, no total, contemplam todos os componentes, tais como Língua Portuguesa, Matemática, História, Geografia, Geografia Regional, Ciências, Arte, Educação Física e Língua Inglesa, entre outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *