31 de outubro de 2020

Polícia paraguaia prende suposto mandante do assassinato do jornalista Léo Veras

Suspeito foi localizado em operação policial de rotina em um bairro de Pedro Juan Caballero

Marcos Morandi 

Cachorrão foi preso em bairro de Pedro Juan.(Foto: Gilberto Ruiz Díaz)

Waldemar Pereira Rivas, conhecido como Cachorrão foi preso nesta sexta-feira (1) em Pedro Juan Caballero por agentes da polícia paraguaia. Ele é apontado como o mandante e um dos executores do assassinato do jornalista brasileiro Léo Veras, morto na noite do dia 12 de fevereiro deste ano.

De acordo com os primeiros relatos  apurados pelo ABC Color, os policiais 7ª Delegacia do Bairro Jardín Autora estavam realizando abordagens preventivas no local, quando um carro bateu atrás de um veículo que estava sendo verificado.

Ao checar o veículo Kia Picanto, vermelho,  com placa CEX 242, os agentes ficaram surpresos ao descobrirem que o condutor era  Waldemar Pereira Rivas. Embriagado, ele foi algemado e conduzido para a sede da investigação criminal.

Segundo a Polícia Paraguaia, Cachorrão tem uma extensa ficha criminal e já vinha sendo investigado pela participação no assassinato do jornalista. Segundo informações apuradas, ele teria ameaçado Léo Veras pelas coberturas que vinha fazendo.

Execução

Veras estavam em casa com a família quando pelo menos três pistoleiros encapuzados chegaram no local e atiraram contra ele. Léo ainda tentou fugir dos assassinos, mas foi alcançado e morto com vários tiros.

O crime chocou os moradores de Ponta Porã e Pedro Juan Caballero onde ele trabalhava como repórter policial. Desde o dia do crime organismos de Direitos Humanos internacionais vem cobrando das autoridades paraguaias uma solução para o crime a prisão dos responsáveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *