30 de outubro de 2020

Puccinelli alega não conhecer “história” e é dispensado como testemunha

Evelin Araujo e Wendell Reis

O advogado Jail Azambuja solicitou e o desembargador Luiz Cláudio Bonassini da Silva dispensou o ex-governador André Puccinelli (PMDB) como testemunha do vice-prefeito afastado do cargo de prefeito Gilmar Olarte nesta sexta-feira (27), em oitiva no TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

Puccinelli ficou por duas horas na sala das testemunhas. Ao deixar o local, André declarou que não conhece a história investigada, não sabe porque o arrolaram como testemunha e nem por qual motivo foi dispensado. Ele não vai mais depor.

Mais cedo, ao chegar, o ex-governador disse apenas que sabia que era testemunha, mas alegou não saber de quem e nem por qual motivo, apesar do fato ter sido amplamente divulgado pela imprensa.

No total, 28 pessoas são esperadas para depoimentos nas oitivas contra Gilmar Olarte, Ronan Feitosa e Luiz Márcio Feliciano. Juntos, eles respondem pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A vice-governadora Rose Modesto estava na lista, mas conseguiu adiar o depoimento dela para 22 de janeiro de 2016. Esta também será a data do depoimento de quem não comparecer hoje.

Segundo Ministério Público Estadual, o trio deve responder por lavagem de dinheiro e corrupção passiva por ter trocado cheque em branco por promessas de cargo e outras vantagens na Prefeitura de Campo Grande.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *