27 de outubro de 2020

Rios transbordam no interior de MS e Defesa Civil atua para retirar famílias

Em Bela Vista, pelo menos 8 famílias ribeirinhas tiveram que ser removidas após a inundação do Apa.

As chuvas fortes desde a madrugada desta terça-feira (20) provocaram a inundação dos rios Aquidauana e Apa. Conforme o coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Isaías Bittencourt, em Aquidauana, o nível do rio passou dos 8 metros, obrigando a retirada de famílias de áreas próximas. Em Bela Vista, pelo menos 8 famílias ribeirinhas tiveram que ser removidas após a inundação do Apa.

Conforme o coordenador do órgão, a retirada de moradores em Aquidauana, cidade a 143 quilômetros de Campo Grande, continua devido à elevação do nível do rio. Na tarde desta terça-feira, a água ultrapassou a marca dos 8 metros, entrando em situação de inundação.

Até o momento, são cerca de 30 famílias desabrigadas, mas o número pode aumentar. “O pessoal está a campo e não temos o número exato [de famílias desabrigadas]. Estamos levantando este número, mas pode aumentar”, contou.

Por conta da inundação pelas águas do rio, o coordenador explicou que o município já prepara um decreto de emergência. “O município está preparando o decreto de situação de emergência e já estamos conversando com eles”, afirmou.

Oficializando a situação, conforme Bittencourt, a Prefeitura poderá contratar os serviços para fazer os reparos nas áreas mais atingidas pelas chuvas além de agilizar o atendimento para a comunidade.

Já em Bela Vista, cidade a 324 quilômetros da Capital, o rio Apa transbordou, atingindo algumas casas próximas e obrigou a retirada de pelo menos 8 famílias da região. Mesmo com o fim da chuva na tarde desta terça-feira, o coordenador da Defesa Civil Estadual explicou que o nível do rio continua elevado. “Essas famílias continuam em um abrigo provisório”, disse.

Outra área em que a Defesa Civil está atuando é em Bonito. Desde o início desta manhã, casas foram alagadas na cidade, mas até o momento a Defesa Civil não tem o número de pessoas desabrigadas. “Nós temos informações preliminares. Há várias casas alagadas, mas não sabemos o quantas ainda”, explicou Bittencourt.

Jardim

No município que fica a 239 quilômetros de Campo Grande, o Rio Miranda atingiu o limite de seu leito. Conforme coronel Bittencourt, as informações preliminares são de danos nas áreas rurais, pesqueiros e nos balneários da cidade.

Durante a tarde, a chuva parou no município. Choveu aproximadamente 200 milímetros na cabeceira do rio, que não chegou a transbordar.

O Corpo de Bombeiros das cidades Guia Lopes da Laguna, Nioaque, Bela Vista e Bonito estão em alerta devido a cheia do rio Miranda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *