29 de outubro de 2020

Brasileiro que dizia ser lobisomem é morto a tiros e facadas em cemitério

Crime ocorreu ontem em Zanja Pytã, perto da fronteira com MS

Helio de Freitas, de Dourados
Brasileiro foi morto no cemitério de cidade paraguaia (Foto: Porã News)Brasileiro foi morto no cemitério de cidade paraguaia (Foto: Porã News)

Um brasileiro de 20 anos de idade, conhecido como “Capetinha” e que dizer ser “lobisomem”, foi assassinado a tiros e facadas ontem no Paraguai. O crime ocorreu no cemitério de Zanja Pytã, cidade localizada ao lado do distrito de Sanga Puitã, no município de Ponta Porã.

De acordo com a polícia paraguaia, Ronaldo Godoi, 20, era andarilho na pequena cidade, de 12,4 mil habitantes, onde ficou conhecido por assustar as pessoas na rua, falando que era lobisomem.

Ontem, moradores visitavam túmulos de entes queridos no cemitério quando encontraram o corpo em meio às sepulturas. Ronaldo levou uma faca e cinco tiros, segundo os agentes da Divisão de Homicídios da Polícia Nacional. A promotora de Justiça Sandra Diaz também foi ao local do crime.

Para os policiais paraguaios, o brasileiro foi morto na noite de quarta-feira (21). A suspeita é que ele tenha invadido uma casa para fazer pequenos furtos. Flagrado, correu até o cemitério para se esconder, mas foi localizado e morto.

O corpo foi encaminhado ao IML do Hospital Regional de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã, a espera de familiares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *