28 de novembro de 2020

Carreta “tomba” próximo à Porto Murtinho

19399770_1423347281087677_5669195502697204060_nPorto Murtinho (MS) – Um acidente envolvendo três carretas carregadas com soja que seriam embarcadas no Porto de Porto Murtinho, na fronteira do Brasil com o Paraguai, só não terminou em tragédia com perdas de vidas por mera decisão do destino. O acidente aconteceu no final da noite de ontem, por volta das 23h30, na altura do km 620 da BR-267 a cerca de 70 km da cidade de Porto Murtinho.

Segundo o motorista Fábio que dirigia terceira carreta do comboio, o acidente aconteceu em consequência de uma falha existente no pavimento da rodovia. O motorista da carreta que ia à frente, também carregada com soja, quando notou a depressão no asfalto, diminuiu a velocidade, obrigando o motorista da carreta do meio a frear e sair para a pista da esquerda. Nisso, Fábio que vinha na última posição do comboio com sua carreta de placas THA-0909, de Ponta Porã, tentou também tomar a pista da esquerda, mas bateu na traseira da carreta á sua frente, perdeu o controle e capotou o veículo esparramando toda a carga pela pista.

Ouvido pelo radialista Edicarlos Lourenço da Rádio FM Alto Paraguay, o motorista Fábio contou que está há 12 anos na profissão e que fazia o trajeto pela primeira vez. Ele afirmou que, infelizmente, as autoridades ligadas ao DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre – é quem devem ser responsabilizadas pelo acidente que poderia ter lhe ceifado a vida.

“Infelizmente surgem os buracos nas rodovias, o DNI terceira as operações de recuperação da pista e acaba dando nisso: as obras não são executadas e uma verdadeira cratera como essa aí que todos estão vendo acaba causando acidentes graves como este que, felizmente, não me tirou a vida, mas poderia, sim, ter me matado e me tirado do convívio com minha família” desabafou o motorista ainda assustado com o estrago causado ao seu caminhão.

19397116_1423346694421069_6142503525049284624_n

Reportagem: Edicarlos Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *