17 de janeiro de 2021

Em Bela Vista, Audiência Pública discute segurança pública na Câmara

Quantitativo de pessoal e viaturas da corporação, 2º Cia, insuficientes para promover segurança na extensa área de responsabilidade da Companhia

bv261 bv262 bv263 bv264 bv265 bv266 bv267 bv268

João Carlos Velázquez

A Câmara Municipal de Bela Vista (MS), promoveu, nesta sexta-feira (20), uma Audiência Pública com o tema em debate sobre a segurança pública no município e contou com a participação do anfitrião, Waldes Marques Claro, vereador presidente da Casa de Leis, do vereador Jair Bispo, dos comandantes do 10º RCMec, Ten Cel Cláudio Carneiro Mardine, Comandante da 2ª Cia de Jardim Cel. Ademilson, Comandante da 2ª Cia Capitão Oscar, Presidente da OAB, seccional Bela Vista, Jorge Mareco, Presidente da Associação Comercial e Industrial de Bela Vista, Flávio Diniz e presidente da Simbel Ramão Melo Ortega, empresários população bela-vistense e demais convidados.

A iniciativa da Audiência surgiu após ao aumento de ocorrências criminais, como assalto com arma de fogo, com arma branca, com emprego de violências, fatos esses nunca antes ocorridos com tanta frequência como nos dias atuais. A violência vem imperando no município de Bela Vista, tornando preocupante o alto índice as autoridades e a sociedade bela-vistense que não pode mais sair as ruas com tranquilidade.

Na mesa de discussões, a luz dos esclarecimentos, questões pontuais foram devidamente apuradas e uma radiografia do engessamento nos investimentos necessários por parte do Estado, em auxílio as forças de segurança pública, evidenciou a falta estrutural e organizacional dos quadros das policias, que se desdobram para manter um serviço de regularidade e normalidade nos conflitos sociais da cidade. As explanações dos responsáveis diretos do segmento, não deixaram dúvidas quanto as possíveis falhas e acertos para o setor de segurança do município.

O Exército Brasileiro, que sempre colaborou com a sociedade bela-vistense, mais uma vez demonstrou estar pronto para auxilia-la na medida do possível e dentro do que a Lei determina a ele

Atentos as alegações das autoridades, o presidente da Casa de Leis, vereador Waldes Marques Claro, juntamente com os demais presentes, enumeraram as causas que afetam o bem-estar da população bela-vistenses, quanto a segurança da cidade e cidadão respectivamente:

Quantitativo de pessoal e viaturas da corporação, 2º Cia, insuficientes para promover segurança na extensa área de responsabilidade da Companhia, que cobre uma imensa faixa de fronteira e a área do município que é mais de 4 mil quilômetros quadrados.

Falta de reposição de efetivo. Informações da corporação de que o efetivo é menor à necessidade e os policiais na ativa não são suficientes para a cobertura efetiva de toda área de Bela Vista, além da falta de viatura. Em face do aumento populacional em detrimento do baixo efetivo policial, agrava significativamente a condução do bom serviço a contento da população.

As conclusões enumeradas pelos representantes no Legislativo, demonstram anteriormente a falta de atenção do Estado para com o município, agravado pelo período sem que o efetivo tivesse um aumento real, e outros casos existe a transferências e que não são supridas para a segurança da cidade, enfraquecendo ainda mais as condições de operações no combate ao crime no centro urbano assim como na periferia e zona rural, já que o município de Bela Vista possui muitos assentamentos rurais.

De concreto e acordado com todos os participantes, o presidente da Câmara Municipal de Bela Vista, vereador Waldes Marques Claro, anunciou que diante do quadro caótico em que vive a população, vai preparar um documento com auxílio dos representantes da segurança pública local, demostrando as condições precárias que vive o município e pedirá uma audiência ao governador do Estado, com a intenção de reivindicar melhoras para o setor na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *