24 de maio de 2022

Na ALEMS, Zé Teixeira parabeniza Hospital do Amor pelos seus 60 anos

“Na pessoa de seu presidente, Henrique Duarte Prata, prestamos nossa homenagem ao referido Hospital que tem buscado sempre melhorar a qualidade de vida das pessoas durante o tratamento e bem atendendo seus familiares. Conclamo aos nobres Pares desta Casa de Leis na aprovação desta Moção de Congratulação”, disse Zé Teixeira.

O parlamentar afirmou ainda que o Hospital do Amor tem possibilitado a seus assistidos uma proteção social exemplar, proporcionando além de assistência material o amparo psicológico, bem como fornecendo aos familiares e pacientes total acolhimento e imprescindíveis orientações em relação aos seus direitos sociais.

História do Hospital de Amor – Mantido pela Fundação Pio XII, a Unidade de Barretos, Unidade Matriz, foi fundada em 24 de março de 1962 pelo então Dr. Paulo Prata, com recursos próprios, no centro da cidade de Barretos, interior do Estado de São Paulo. Um hospital geral cujo nome homenageava São Judas Tadeu. Na época, a população da região tinha que viajar centenas de quilômetros para buscar tratamento oncológico, mas muitas dessas pessoas tinham dificuldades de fazer esse percurso até a capital, por falta de recursos, receio das grandes cidades, além da imprevisibilidade de vaga para internação.

No ano de 1989, Henrique Prata, filho do casal de médicos fundadores do hospital, abraça a ideia do pai e com a ajuda de fazendeiros da cidade e da região realiza mais uma parte do projeto. O pavilhão Antenor Duarte Villela, onde funciona uma parte dos ambulatórios do novo hospital, foi inaugurado em 6 de dezembro de 1991.

Em 2015, a instituição realizou 98 (noventa e oito) mil exames em 200 (duzentos) municípios. Em grande parte, é mantido com recursos que recebe da sociedade, por meio de comunidades que fazem doações, leilões ou por organizações, tendo um custo mensal de aproximadamente 23 (vinte e três) milhões de reais, recebendo do SUS cerca de 14 (quatorze) milhões. São cerca de 30 (trinta) milhões de reais em donativos por ano.

Já no ano de 2017, a instituição assumiu como nome o apelido pelo qual já era conhecido entre seus pacientes, familiares, médicos e parceiros, passando a se chamar “Hospital de Amor”.

Mato Grosso do Sul passou a contar com o apoio do Hospital de Amor, em setembro de 2019, quando entraram em atividades as Unidades de Prevenção nas cidades de Campo Grande, Dourados e Nova Andradina.

Em maio de 2020, a Instituição passou a contar com um novo aliado e mascote: o elefante Mamu. Criado pelo renomado ilustrador paulistano Roberto Weigand, ele é um charmoso elefante azul que passou a integrar a equipe do HA e a atuar de forma didática e divertida, levando entretenimento e informação sobre o trabalho realizado pela instituição, seja para ajudá-la a captar mais recursos ou para falar de maneira descontraída e amigável sobre os mais diversos assuntos relacionados à entidade. E nada mais justo, pois, afinal, o nome dele significa “amigo”.

Gustavo Nunes – Assessor de Imprensa Parlamentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *