26 de outubro de 2020

Perda de R$ 700 milhões com ICMS do gás pode quebrar MS, diz Reinaldo

Governador se encontra sexta-feira, 10, com presidente da Petrobras

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) falou sobre os riscos financeiros que Mato Grosso do Sul enfrenta com a redução de arrecadação do ICMS do Gás importada da Bolívia pela Petrobras, tributado no Estado. Ele reúne documentos para o encontro, amanhã, sexta-feira (10) com o presidente da estatal, Pedro Parente.

“Não se constrói uma receita de R$ 700 milhões da noite para o dia”, disse o governador durante agenda pública na manhã desta quinta-feira (9).

Segundo o tucano, desde de janeiro a Petrobras diminuiu a quantidade de gás bombeado da Bolívia, gerando uma queda de cerca de R$ 60 milhões na arrecadação de ICMS do governo estadual.

“Estamos levando uma farta documentação e vamos tentar, no convencimento, junto ao Pedro Parente, mostrar que essa política da Petrobras é extremamente prejudicial para Mato Grosso do Sul”, disse Azambuja.

Além de Reinaldo, o senador Waldemir Moka (PMDB), o presidente da Assembleia Legislativa, Junior Mochi (PMDB) e o presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Pedro Caravina (PSDB), estão confirmados no encontro, que acontecerá nas dependências da Petrobras em São Paulo (SP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *