15 de janeiro de 2021

Policial morto após agressão em cela chegou a entregar celular para presos pedirem ajuda

Policial morreu a caminho de Campo Grande

O investigador Anderson Garcia da Costa, 37 anos, que morreu a caminho de Campo Grande na tarde desta quarta-feira (25) depois de ser gravemente ferido por um preso da Delegacia de Polícia Civil de Pedro Gomes, cidade a 296 quilômetros de Campo Grande, chegou a entregar o celular para um detento pedir ajuda, após ser ferido.

Segundo informações do registro policial, durante um depoimento, uma escrivã ouviu dois estrondos e em seguida barulho de detentos batendo na grade das celas. A escrivã, então, resolveu ligar para o investigador Anderson que estava de plantão, mas a ligação foi atendida por um preso.

Durante a ligação o preso pediu para a escrivã acionar a Polícia Militar e pedir socorro pois havia um detento baleado na cela. Ele destacou na ligação, de acordo com o registro, que havia atendido a ligação a pedido do investigador Anderson. A escrivã teria então pedido para que a PM entrasse na cadeia para averiguar o que estaria acontecendo.

Ao entrar na delegacia os policias encontraram o investigador e o detento Zosimo Pereira dos Santos, de 51 anos, no chão. A escrivã foi informada sobre os dois homens feridos e acionou o hospital local para que enviassem uma ambulância, mas o investigador acabou sendo socorrido em uma viatura da PM por causa da demora e o autor em uma viatura da vigilância sanitária.

Ainda segundo o registro policial o Zosimo sofreu três disparos na região pélvica foi encaminhado para o Hospital da cidade, mas transferido para Campo Grande por causa de uma hemorragia. Já o investigador teria sofrido traumatismo craniano e hemorragia interna e depois e receber atendimento no Hospital de Coxim foi transferido para a Capital, mas morreu por volta das 16h15 a caminho da Santa Casa.

 

Problemas psiquiátricos

Zosimo Pereira dos Santos teria sido conduzido para a Unidade Policial de Pedro Gomes pela Polícia Militar na manhã desta quarta-feira depois de ser detido em flagrante por furto. Mas segundo o registro policial é de conhecimento da polícia, Ministério Público e do Poder Judiciário que o autor já vinha causando transtornos na cidade por possivelmente possuir problemas mentais.

Ainda segundo o registro policial, ao serem informados que Zosimo havia sido detido por furto servidores da Gerência de Saúde Municipal iriam até delegacia nesta manhã para seda-lo e darem cumprimento à internação compulsória em uma unidade psiquiátrica solicitado por uma promotora de justiça da cidade, o que pode justificar o fato do investigador ter entrado na cela e retirado as algemas de Zosimo.

De acordo com a assessoria de comunicação da Santa Casa de Campo Grande, Zosimo deu entrada nesta tarde no pronto socorro do hospital e está passando por avaliação médica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *