18 de abril de 2021

Encontrado morto em cela seria ‘peça chave’ na investigação de duplo homicídio

Denar investigará a morte

Guilherme Gonçalves Barcelos, de 31 anos, encontrado morto na madrugada de quarta-feira (25) em uma cela da Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Bancos e Resgate, Assaltos e Sequestros), horas depois de ser preso, seria ‘peça chave’ na investigação de outro crime. Ele poderia ter informações sobre o duplo homicídio ocorrido em Bela Vista no dia 21 de abril.

Conforme o delegado Márcio Shiro Obara, da DEH (Delegacia Especializada de Homicídios), que investiga o duplo homicídio ocorrido na fronteira, Guilherme teria informações importantes. Ele foi preso na noite de terça-feira (24) e, também segundo a polícia, teria cometido suicídio.

Quanto à causa da morte de Guilherme, a família ainda aguarda explicações mais detalhadas. Um parente contou ao Jornal Midiamax que o homem já havia prestado depoimentos à polícia antes de ser preso. Segundo o delegado Obara, a morte de Guilherme será investigada pela Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), para que não estejam envolvidas as delegacias que já cuidam do caso do duplo homicídio.

De acordo com o delegado Obara, Guilherme foi levado para uma cela da Garras porque tanto a DEH quanto a Garras foram até Bela Vista no dia do crime e tocavam a investigação. Ainda segundo a polícia, laudos periciais que determinem a causa da morte do rapaz ainda não ficaram prontos.

Entenda o caso

Guilherme era investigado por participação no duplo homicídio de Alberto Aparecido Roberto Nogueira, de 55 anos, o ‘Betão’, e Anderson Celin Gonçalves da Silva, de 36 anos, investigador da Polícia Civil. “Não chegamos nem a saber da prisão, ninguém informou nem a nós e nem ao advogado. Ele chegou na delegacia vivo e só recebemos o corpo”, conta um familiar, que não será identificado na matéria.

A família cobra explicações sobre o que ocorreu. “O Guilherme estava sob tutela do Estado e é do Estado que espero uma resposta sobre o que aconteceu”, comenta o parente. Ainda de acordo com pessoas próximas a Guilherme, ele não tinha passagens policiais.

A família também aguarda laudos necroscópicos que conformem a causa da morte. A princípio, a Polícia Civil, por meio da assessoria, divulgou nota informando que o homem teria se suicidado na cela com uma calça jeans.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *