5 de dezembro de 2021

Mais de 15 mil já assinaram projeto para reduzir salário de vereadores

Cidadãos têm medo de represálias

Jéssica Benitez

Das 29 mil assinaturas necessárias para reduzir o salário dos vereadores de Campo Grande, por meio de projeto de lei de iniciativa popular, mais de 15 mil já foram coletadas por equipe de voluntários coordenada pelo fisioterapeuta Denis Pereira. A iniciativa surgiu em setembro passado e mesmo com recesso parlamentar, que vai até o dia 2 de fevereiro, a coleta não parou. O idealizador, porém, revela que os cidadãos às vezes não aderem à campanha por medo de retaliação.

“Precisamos fazer uma recontagem, mas estimamos ter ultrapassado a quantia de 15 mil. Na verdade as coletas não pararam. Temos mil fichas distribuídas na cidade. A nossa luta no momento é a conscientização das pessoas que a receberam para que a devolvam mesmo que não tenham completado todos as colunas. Infelizmente tenho percebido que a população teme uma represália”, contou Denis.

“Eles desejam a mudança, mas o medo supera. Por isso em último caso, se não conseguirmos, lutaremos para ter alguém dentro da câmara que trabalhe contra esta desonra com a população e os impostos”, completou. Nos primeiros domingo do ano não haverá a coleta feita na Praça do Rádio das 14h às 18h. O que não significa que o trabalho está suspenso. “Em breve vamos retomar”.

O intuito da medida é evitar que em 2017 a remuneração suba para R$ 20 mil, como foi aprovado em 2014 passado pelos nobres pares, e tentar igualar a remuneração parlamentar ao que é pago ao cidadão brasileiro, ou seja, de acordo com a formação escolar de cada um. Aos legisladores que possuem ensino médio o pagamento seria de R$ 1,5 mil a R$ 2,5 mil e aos com formação superior R$ 3,3 mil a 5,3 mil.

Atualmente os 29 recebem R$ 15 mil por mês além do auxílio de até R$ 8,4 mil de verba indenizatória. Ao todo são necessárias quase 30 mil assinaturas, número que corresponde a 5% do eleitorado de Campo Grande, percentual exigido para que seja criado um projeto de lei de iniciativa popular.

Inspiração – Em junho do ano passado a pequena Santo Antônio da Platina, cidade com 40 mil habitantes no Norte do Paraná, ganhou manchetes nacionais porque conseguiu diminuir os salários do prefeito, vice-prefeito e vereadores a partir de 2017. Inicialmente o projeto era para aumentar a remuneração, mas após protesto de uma empresária, com direito a vídeo na internet, o jogo virou. O chefe do Executivo passará a ganhar R$ 12 mil, R$ 2,7 mil a menos que o atual. Já os dos nove legisladores, que hoje é de R$ 4 mil, passarão a receber R$ 970. No começo a intenção era reajustar para R$ 8,5 mil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *