17 de julho de 2024

Governo do Estado promove ação para conscientizar sobe doação de sangue e órgãos

O encontro orientou os servidores públicos da Segov (Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica) sobre como doar. O vice-governador José Carlos Barbosa participou da ação e pontuou sobre a importância da informação sobre como se tornar doador. “É um gesto que só o ser humano pode fazer por outro. E isso transborda o sentimento universal de que pertencemos a uma mesma família, independentemente de cor ou país. Precisamos aumentar a quantidade de doadores, só assim podemos ajudar ao próximo”.

“No caso de órgãos e tecidos, o doador precisa apenas informar a família do seu desejo. Não é necessário deixar por escrito. Em quase a totalidade dos casos, os familiares atendem o desejo da pessoa, e são eles que precisam autorizar a doação após a morte do paciente doador”, explicou a gerente da Central Estadual de Transplantes, Cristina Medina.

O presidente do Instituto Sangue Bom, Carlos Alerto Rezende, 58 anos, recebeu doação de medula em novembro de 2016 e atua em ações para informar sore a importância da ação. “Eu precisei aguardar um ano e quatro meses para encontrar um doador compatível, que é de um a cada 100 mil. Como o Brasil com grande variabilidade genética, o banco de doadores precisa ser maior”.

No caso da doação de medula, é necessário fazer um cadastro no Hemosul local. Em Mato Grosso do Sul, de acordo com dados da Central Estadual de Transplantes, 400 pessoas aguardam por transplante de córnea atualmente no Estado e outras 160 aguardam por um rim. “Já tivemos a fila de espera para transplante de córnea zerada. A pandemia teve um impacto negativo e agora estamos retomando as ações. Porém ainda temos uma taxa de negativa muito alta, entre 70% e 80%”, explicou Cristina.

A rede Hemosul tem 12 unidades no Estado. “Atendemos pacientes que precisam de uma bolsa de sangue e já atendemos uma única pessoa que preciso de 500 bolsas. Atualmente nosso estoque está baixíssimo e precisamos de ajuda para atender a quem precisa, contamos com os doadores para isso”, afirmou a coordenadora da Rede Hemosul, Marli Vavas.

Como doar

Para doar basta comparecer à unidade com documentos pessoais, estar bem alimentado e bem de saúde. Também é necessário ter entre 16 a 69 anos – menores entre 16 e 17 anos devem estar acompanhados pelo pai ou mãe ou responsável legal -, e pesar 51 kg ou mais. Além disso, é importante ficar atento ao intervalo para quem se vacinou contra a covid (Coronavac 48h, já Astrazeneca, Pfizer e Janssen intervalo de 7 dias).

O Hemosul também reforça que doenças respiratórias deixam o doador inapto enquanto estiver doente. Homens podem doar sangue até quatro vezes ao ano com intervalo mínimo de dois meses. Mulheres podem doar até três, com intervalo mínimo de três meses.

*Serviço*

O Hemosul Coordenador, em Campo Grande, funciona na Av. Fernando Corrêa da Costa, 1304. Os telefones para contato são (67) 3312-1517 e 99298-6316 (WhatsApp).